1ª Central de Distribuição exclusiva para a operação do e-commerce do Extra e do Pão de Açúcar

 

A CD fica na BR 101 Sul (Km 96,4) e conta com 2,3 mil metros quadrados, o que garante uma capacidade para estoque e movimentação de mais de 3,6 mil produtos

Nesta segunda-feira (24), Recife recebe a primeira central de distribuição exclusiva para a operação do e-commerce do Extra e do Pão de Açúcar no Nordeste. Pernambuco foi o estado escolhido para hospedar essa nova estrutura, que pretende aumentar a capacidade operacional, tanto em quantidade de pedidos quanto em volume de vendas pelos sites www.paodeacucar.com e www.clubeextra.com.br, na região. O projeto, que fazia parte de um planejamento com execução prevista de dois anos, foi adiantado para atender a demanda em grande ascensão dos recifenses por compras on-line de supermercados.

As recomendações de isolamento social por conta da pandemia foram inegavelmente as principais responsáveis por impulsionar a tendência do e-commerce e por diversificar os produtos adquiridos por esse canal, gerando um crescimento de 300% na procura por produtos perecíveis e consolidando o e-commerce alimentar. Atualmente, as vendas online representam 5,6% das vendas alimentares do Extra e do Pão de Açúcar, sendo que neste último o share chega a 15,3% das compras. Para manter a liderança da varejista no segmento de e-commerce alimentar, o grupo controlador das duas redes têm recentemente investido em diversas adaptações. Por exemplo, hoje, são 300 lojas em todo o Brasil com estrutura para atendimento da demanda on-line, com a separação dos itens dos pedidos sendo feita diretamente nessas unidades, Ainda, foram contratadas mais 1 mil colaboradores exclusivos para o e-commerce e a empresa passou de uma para seis centrais de distribuição exclusivas para a operação de vendas on-line no país nesse período.

“A evolução do nosso e-commerce alimentar está apoiada, principalmente, no profundo conhecimento que temos do comportamento de compra dos nossos clientes. Em poucos meses, aceleramos projetos e iniciativas que estavam previstos para serem executados ao longo de dois anos, seguindo o planejamento de incremento do e-commerce alimentar. Acompanhamos essas transformações do consumo para estarmos alinhados à jornada do consumidor, direcionando o trabalho ao que é mais prático e traz valor tanto para a experiência de compra dos clientes, quanto para o desempenho do negócio. Ainda, a distribuição geográfica e a quantidade de lojas Extra e Pão de Açúcar são um diferencial relevante que, somada à capacidade logística, permitiu acelerarmos a expansão desses projetos e entregar a melhor e mais completa experiência de compra de supermercado on-line e agora, ainda mais perto dos nossos clientes da capital pernambucana”, explica Rodrigo Pimentel, Diretor de E-commerce Alimentar do GPA, grupo controlador das redes Extra e Pão de Açúcar.

 

Outro diferencial é o conhecimento do comportamento de compra dos clientes que compram com recorrência nas duas redes. Por meio dos programas de fidelidade Clube Extra e Pão de Açúcar Mais, que contam com mais de 20 milhões de clientes cadastrados e mais de 13 milhões de downloads dos aplicativos, é possível identificar as principais demandas dos consumidores e direcionar as ações. 50% das vendas do e-commerce alimentar do Extra e do Pão de Açúcar já são originadas nos superapps.

 

Mudanças no comportamento de consumo – No Extra e no Pão de Açúcar, a cesta de compras do cliente do e-commerce alimentar é seis vezes maior do que a da loja física e o ticket médio é cinco vezes mais alto. A maior parte dos itens adquiridos nas compras on-line é de produtos de limpeza, bebidas e mercearia. Neste momento de recomendado distanciamento social, as pessoas passam a realizar compras mais abastecedoras nos sites, com um número maior de itens e uma maior variedade de categorias. Hoje, é possível identificar uma crescente demanda por perecíveis (como itens de açougue e peixaria) e também por frutas, legumes e verduras, itens que, tradicionalmente, os clientes preferem comprar pessoalmente nas lojas.

 

“Ainda é cedo para termos uma projeção para o cenário pós-pandemia, mas estamos preparados para seguirmos atendendo as demandas e preferências de nossos clientes e, como sempre fizemos, continuaremos oferecendo as alternativas para uma boa jornada de compra do consumidor. Acreditamos que as compras on-line passarão a fazer mais parte do dia a dia das pessoas, até porque elas perceberam que é possível fazer uma compra abastecedora sem sair de casa e com uma experiência satisfatória. Então, é possível que a compra via e-commerce se torne mais uma modalidade da jornada do consumidor”, finaliza Pimentel.

Rodrigo Pimentel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *