A manifestação de sintomas e de patologias comportamentais impulsionados pelo novo coronavírus

Os efeitos da quarentena como medo, ansiedade e depressão tem afetado diariamente o psicológico das pessoas. A alimentação certa pode ajudar a controlar o peso e o emocional, este último ligado fortemente ao perfil comportamental do indivíduo. O nutrólogo Humberto Arruda junto a esposa e analista de perfil comportamental, Valesca Brito, analisam a interrelação entre o sistema imunológico e as emoções com base nos perfis comportamentais.

Com a ansiedade, a qualidade da alimentação tende a piorar. As refeições passam a ficar fora do horário, os carboidratos e alimentos industrializados tomam lugar e a restrição à liberdade pode induzir a quadros de compulsão. “É importante conhecer nossos gatilhos. Os alimentos podem ser uma fonte de conforto e conexão durante períodos turbulentos. Mas, se você estiver procurando por comida quando sabe que não está com fome física, essa é uma ótima informação.

O objetivo é entender o que está motivando seu desejo por comida, pode não ser ela em si, mas um desejo de relaxamento ou mudança.  Para a alimentação, o ideal no período é optar por raízes, proteínas, legumes, saladas, pescados, nozes, vários tipos de castanhas (de caju, do pará, pistache). Lembro que alto consumo de açúcar, sal, alimentos refinados, contribuem para o surgimento de sintomas depressivos”, explica Humberto.

De acordo com Valesca Brito, coach e analista de perfil comportamental, o isolamento social tem impacto direto no comportamento psicológico. Ter uma gestão comportamental eficaz, leva a uma maior produtividade tanto na disciplina do home office, quanto no diálogo com a equipe de trabalho de forma remota para tornar o período mais produtivo. “Tudo depende da forma como você controla e nutre a mente. Uma coisa boa a se fazer nesse período é filtrar bem as informações que recebemos.

“Nós temos quatro perfis comportamentais: dominância, influência, conformidade e estabilidade. Neste período, o perfil que mais sofre diante da pandemia é o indivíduo influente porque ele precisa de conexão com pessoas. O influente precisa se reenergizar com pessoas e o mesmo acontece com quem tem um perfil estável porque ele precisa de pessoas ao redor. O dominante e o conforme passam por essa situação de forma mais leve”, explica Valesca. Para ela, inserir hábitos diários positivos como assistir filmes de gêneros positivos, escutar música, ler bons livros, são hábitos que vão fazer com que sua mente viva positivamente e tenha visão positiva de futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *