Doces da vovó: As tradicionais guloseimas ainda têm espaço no paladar dos brasileiros

 

Biscoitos amanteigados e bolos simples fazem sucesso nos restaurantes e delicatessens

Assim como em variados segmentos da economia e gastronomia, nos últimos anos houve um crescimento elevado na produção de doces. Com o auxílio da tecnologia e novas técnicas, os confeiteiros puderam desenvolver guloseimas mais elaboradas com efeitos que envolvem alto nível de dificuldade e necessitam de maior preparo. Um exemplo são os trabalhos com bico, pasta americana, marshmallow, chantilly, glitter e flores comestíveis.

Quindim-Carmen-Delicatessen—Foto-Thais-Carvalho

Em meio a tanta inovação, os doces e bolos mais simples ainda têm seu espaço reservado nas cozinhas pernambucanas e brasileiras. Afinal, que resiste a um bolo de milho, leite ou até mesmo chocolate com um cafezinho? Essas delícias da “vovó” resistem ao tempo e seguem como opções para o café da manhã, lanche da tarde ou sobremesa, seja em casa ou em estabelecimentos.

Biscoito da Vovó Irene Villa – Foto Divulgação

Na Carmem Delicatessen, localizada no Empório Gourmet Reserva do Paiva, por exemplo, os bolos de rolo, chocolate, inglês, quindim e pastéis de nata são alguns dos mais consumidos diariamente. Quem também investe em receitas antigas e carregadas de afeto é o chef Joca Pontes, do Villa Cozinha de Bistrô. O chef incluiu no cardápio o “Biscoito da vovó Irene”. Como o nome sugere, a guloseima é uma herança da avó dele. No restaurante, o biscoito amanteigado entra como acompanhamento. .

 

 

Leia também: