Entrevista com Waldyr Roma Ferreira, diretor-geral da Triumph do Brasil

Triumph, uma história clássica de estratégia em Duas Rodas

Para quem gosta de encarar aventuras, acelerar on road ou realizar manobras off road, a britânica Triumph é uma grande referência em duas rodas que marcou diversas gerações na vida real e na fantasia, nas telonas e nas telinhas. Seja em séries de TV como “Hannibal Lecter” (2015), quando o intérprete do famoso psicopata Mads Mikkelsen passeia por Florença com uma Triumph Thruxton na terceira temporada) ou em filmes como “O Selvagem” (1953), com Marlon Brando (Johnny Strabler) e “A Força do Destino” (1982), com Richard Gere e Debra Winger, despontou como coadjuvante, porém, no mercado automotivo ela brilha como estrela principal. No mundo, a empresa britânica está presente desde 1886 com mais de 700 concessionárias e perto de 2.000 funcionários responsáveis por uma produção de quase 67 mil motos por ano. Mas, no Brasil, chegou em 2012 trazendo na bagagem muita história e um novo conceito de design, inovação e tecnologia com sistemas de freios ABS. “Nossa área de P&D fica em UK e a Triumph investe pesado para atender às exigências da legislação brasileira visando sempre oferecer produtos em absoluta conformidade com os requisitos do país”, diz o diretor-geral da Triumph do Brasil, Waldyr Roma Ferreira.

Este é um quesito importante que o executivo conhece profundamente com sua larga trajetória no mundo automobilístico que começou em 1998 e contemplou atuação em três grandes montadoras, além de incursão no lado do varejo do setor por 15 anos. E, quando surgiu em 2013 o desafio de ingressar no segmento de duas rodas, abraçou há sete anos a oportunidade com a compreensão de que seria necessário implantar novos processos. “Quando assumi a gestão da marca no país a crise chegava no universo das duas rodas, na alta cilindrada. Por isso, os méritos de nossa equipe em conjunto com nosso time de fabricação em Manaus e a Matriz no Reino Unido foi a capacidade de rápida leitura dos movimentos do mercado, o que nos permitiu desenhar planos de reação consistentes para reagir. Interrompemos a expansão da Rede e fizemos alguns ajustes no modelo de negócio para permitir à Rede fazer a travessia do período de crise com a manutenção de resultados mínimos que mantivessem o negócio viável. E creio que tenhamos sido bem sucedidos e há cerca de um ano atrás voltamos a expandir nossa Rede, hoje 50% maior”, expõe Waldyr.

Diante do cenário de instabilidade, o impacto foi também severo no segmento de duas rodas, de acordo com o executivo. Este foi o período de maior recessão econômica da história do país nos últimos 100 anos. O mercado de alta cilindrada que atingiu o seu pico em 2013 com 50.000 unidades, caiu 40% em 4 anos, chegando a 30.000 unidades em 2017.

“A Triumph conseguiu atravessar este período, mantendo o volume médio anual em torno de 3.900 a 4.000 unidades em 2015, 2016 e 2017, com consequente aumento de market share de 8,9% para 12,8% no período. Finalmente, em 2018 o mercado voltou a crescer algo em torno de 6% e a Triumph cresceu 12% entregando cerca de 4.400 unidades com market share atingindo 13,5%”, revela Waldyr.

Contudo, com confiança, a marca não parou de pensar no consumidor nacional e continuou investindo, anualmente, em média em cinco novos modelos ao longo dos últimos quatro anos, uma forma clara e objetiva de demonstrar confiança em nosso país.

Passados seis anos, a marca traz grandes investimentos e produção de 7 mil unidades de 21 modelos ao ano em sua fábrica localizada em Manaus, com 2.945,94 m² de área construída. “Bem, quase sete anos depois vemos que a decisão de estabelecer uma fábrica própria em Manaus foi acertada. Já produzimos e comercializamos no Brasil mais de 27.000 unidades. Em 2019 apresentamos seis novos modelos, a Bonneville Bobber Black, a Speed Twin, nova Scrambler 900 cc, nova Street Twin 900 cc, Scrambler 1200 XC e XE, além da Série Especial da Bonneville T120 Ace Café. Do ponto de vista de expansão de Rede, além das praças citadas acima, acabamos de inaugurar uma operação na Bahia, na região metropolitana de Salvador”, destaca. E, com a capacidade de produção a todo vapor, a empresa ultrapassou a meta de 25 mil motocicletas montadas e vendidas em suas instalações nesse período e tem perspectiva de alcançar 30 mil até o final do ano.

Com isso, o parque fabril que, desde sua inauguração, contou com cerca de US$ 13 milhões em investimentos, já responde como a subsidiária que mais cresceu no mundo e projeta neste 2019 crescimento em torno de 10% sobre o volume alcançado no ano passado. “Estamos muito confiantes na retomada da economia brasileira a partir deste ano. Com a aprovação das reformas, a redução das taxas de juros, com câmbio e inflação favoráveis, creio que tenhamos as condições necessárias para a confiança do consumidor retornar e os volumes de vendas crescerem de forma significativa. O desafio sempre é o planejamento. Fazer a leitura correta do mercado e tentar antecipar movimentos para ajustar os volumes de produção, capacidade industrial e também a Rede de Distribuição”, comenta Ferreira.

Com esse panorama profícuo, foram anunciados no começo do ano diversos planos para alcançar essa meta como a implantação de novas tecnologias, ampliação da rede de concessionárias, a incorporação dos modelos Speed Twin, Bobber Black e Scrambler 1200, nas versões XE e XC, e as atualizações da Street Twin e da Scrambler 900. O primeiro lançamento já chegou com bastante rugido, a Street Scrambler 1200 XE, que é a mãe dos estilos Trail e Big Trail para alguns apaixonados e que agora chega equipada com o motor Bonneville de 1200 cc de Alto Torque. Com um design leve, ela traz um painel composto com novos instrumentos TFT totalmente coloridos, que é um novíssimo sistema de conectividade, desenvolvido numa parceria exclusiva com a Google. Mas, a fabricante britânica de motocicletas se prepara para colocar nas ruas a XC, que apresenta pegada mais off road. “Todos os modelos de nosso line-up são de grande importância para a Triumph. A família Tiger 800 pela sua representatividade em nosso volume de vendas, com cerca de 50% no volume, possui grande relevância para a marca no país. A Tiger 800 é líder do segmento de Big Trails até 800cc há três anos e meio. Além disso, a Tiger 800 XCX foi eleita Moto do Ano (categoria Big Trails) de 2019”, menciona.

A empresa começou ainda este segundo semestre com outras novidades no Brasil aos amantes de duas rodas com a inclusão da linha 2019 da Triumph Street Twin com atualizações no motor de 900 cc, caracterizada por um aumento de potência do motor e sistema de aceleração Ride-by-Wire; e o lançamento da Bonneville T120 Ace, uma edição limitada baseada na T120 Black, criada para celebrar a primeira geração de motos café racers e o lendário Ace Café, antigo café de transporte localizado no Stonebridge Park, no noroeste de Londres, que é historicamente um local notável na cultura da motocicleta. Com 1.400 unidades produzidas e comercializadas no mundo todo, o modelo traz um esquema de cor exclusivo em tom preto e cinza fosco e é equipada com o mesmo conjunto mecânico e eletrônico da T120 Black. “Continuaremos investindo na renovação constante do line-up oferecendo ao consumidor brasileiro o que há de melhor da Triumph no mundo também aqui no Brasil. Foco em experiência do cliente, cada vez mais criando oportunidades de interação com a marca e de experimentação dos nossos produtos”, comenta o diretor que considera estratégicos os investimentos em todas as categorias para acompanhar o comportamento do mercado e aproximar cada vez mais a marca dos consumidores, especialmente em regiões onde não atuam no Brasil.

Hoje, a marca britânica garante que irá avançar com as clássicas modernas, mas sem deixar de lado outros importantes segmentos em que atua como a categoria Trail de alta cilindrada, como a Tiger 800 XCa da linha Tiger, na qual se destaca como líder. “Outro segmento muito importante é o de modelos de motocicletas clássicas. Temos um portfólio espetacular de clássicas. É um tipo de produto que está conquistando o gosto do cliente brasileiro e a Triumph vem conquistando market share com esse segmento”, lembra.

E ainda reforça um novo importante diferencial que continuará garantindo ainda mais a notoriedade e prestígio da marca no Brasil e no mundo: a oferta com exclusividade de motores triplos de 765 cc (que equipam a Street Triple) para a categoria Moto2.

Com isso, manterá um posicionamento de altíssima tecnologia empregada nas suas motocicletas e aposta cada vez mais no aumento expressivo de sua capacidade produtiva que deverá pular de 5 mil motocicletas iniciais para 7 mil unidades por ano. No final do ano, serão apresentados acessórios para complementação dos lançamentos da marca como sistema de controle GoPro integrado, sistema de navegação curva a curva e o aplicativo Triumph para telefones com iOS e Android com função de navegação conectada. E, para mostrar um pouco mais as novidades da marca e seu posicionamento no mercado atual, a Triumph marcará presença no 15º Salão Duas Rodas 2019, evento a ser realizada entre 19 e 24 de novembro, no São Paulo Expo, na Rodovia dos Imigrantes. “Somos uma marca jovem no Brasil, que ainda está construindo a sua notoriedade, e o Salão Duas Rodas é uma oportunidade única de contato com os admiradores das Duas Rodas, sejam nossos Clientes ou não. Por isso, Vamos levar o que há de melhor do nosso line-up atual, também proporcionando condições atrativas para que os Clientes adquiram a sua Triumph durante o evento. Além disso, iremos apresentar algumas novidades sobre nosso futuro. Mas os detalhes serão mostrados somente em novembro”, afirma o diretor-geral da Triumph do Brasil, Waldyr Roma Ferreira. Então, é esperar para ver.

por Claudio Barreto
Fotos Divulgação
Publicado na 49º edição Terra Magazine -Caderno Dirija Auto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *