Festival MECABrennand divulga line up completo

A segunda edição do festival MECABrennand acontece no dia 14 de setembro, sábado, em Recife (PE). A programação completa acaba de ser divulgada com shows, DJ sets, talks, performances e muita imersão em cultura e criatividade. O evento acontece na Oficina Cerâmica Francisco Brennand e os ingressos já estão à venda no site http://bit.ly/MECA_Brennand_2019.

As atrações musicais confirmadas são Tulipa Ruiz, Romero Ferro, Mombojó Shevchenko & Elloco, Noporn e 9K, nomes que se apresentam no palco principal da festa. Além da parte musical, talks compõem a programação diurna: Luiz Arruda (WGSN Mindset), o indígena Anápuáka Tupinambá (criador da Rádio Yandê e do YBY Festival) e Carlo Pereira (Secretário-executivo da Rede Brasil do Pacto Global da ONU).

Também acontece o painel “Pernambuco é pop – Como os memes, o cinema e a música pernambucana dão identidade para a cultura do Brasil?” que conta com a participação de Ana Garcia (diretora e fundadora do No Ar Coquetel Molotov), China (músico), Aslan Cabral (artista visual e pesquisador livre em arte digital e capital viral) e Amanda Mansur (doutora em Comunicação e professora do Centro Acadêmico do Agreste da UFPE) com mediação de Cleu Oliver (Gerente de Planejamento Criativo do MECA).

Para o Main Stage, que recebe os principais nomes do festival, o MECABrennand recebe Tulipa Ruiz que volta à cidade depois de quase dois anos desde a última apresentação e após show energizante durante o MECAInhotim 2019, que aconteceu em maio. Depois de apresentar ícones da música como Letrux, Duda Beat, Mundo Livre e Windy City Classics na primeira edição, agora a cantora e compositora sobe ao palco principal do festival em Recife para se apresentar junto a banda Pipoca das Galáxias, em turnê que celebra seus quatro álbuns: Efêmera (2010), Tudo Tanto (2012), Dancê (2015) e Tu (2017). Vencedora de dois Grammys Latinos em 2015 (Melhor Álbum Pop Contemporâneo e Artista Revelação), Tulipa garante no repertório hits como “Só Sei Dançar Com Você”, “Efêmera”, “Pedrinho”, além da música “Banho”, composição da Tulipa que faz parte do disco mais recente da cantora Elza Soares.

A equipe MECA foi pra Recife descobrir o que não saía do ouvido da galera e a resposta foi: Shevchenko & Elloco, dupla de bregafunk que já completou dez anos de carreira e hoje vive seu auge com o sucesso de faixas como “Tome Empurradão”, “Chapuletei” e “Gera Bactéria”. Composto por Robson Oliveira Rodrigues (Shevchenko) e Cleiton José da Silva (Elloco), o ritmo que é a cara de Recife invade o Brennand com a cultura dos passinhos. Ainda imerso no clima local, o duo de DJs do 9K – composto por HTTP e Ojuara – injeta músicas bregafunk do cenário underground de Recife no setlist do Brennand.

Também confirmado, está Mombojó que depois de 15 anos sem um disco de inéditas se prepara para um novo lançamento neste segundo semestre do ano. O show intitulado “MMBJ12” passa por todos os sucessos da carreira, além do novo single “Tudo Vai Mudar”, um prelúdio do novo momento do quinteto com 18 anos de estrada. Também recifenses, seus cinco álbuns prometem incendiar o palco do MECABrennand. Noporn completa as atrações musicais com poesia eletrônica para dançar.  A dupla se apresenta com seu segundo disco “Boca”, nome que também é dado pro show denso e insinuante dos carioca. As músicas “Baile de Peruas”, “Xingu” e “Sonia” são confirmadas no setlist de Liana Padilha e Lucas Freire.

Romero Ferro também faz parte das atrações. Esse será o primeiro show em Recife, sua cidade natal, com seu novo disco intitulado “Ferro”. O segundo álbum da carreira chegará ainda este mês com produção musical de Leo D e a direção artística de Patricktor4 (que também faz parte da programação do MECABrennand como DJ). Além das canções já lançadas como “Pra Te Conquistar”, “Acabar com a Brincadeira” e a recém-divulgada “Corpo em Brasa”, parceria com Duda Beat,  as demais faixas do álbum também fazem parte do setlist, entre elas uma música com o paraense, rei da guitarrada, Felipe Cordeiro e outro pernambucano de peso, Otto.

Um time potente de DJs também faz parte da programação e se apresenta no Side Stage desde o momento de abertura até o final do festival, esquentando a pista para os shows. Roger Weekes (Inglaterra), DJ de Londres que reside em São Paulo e atualmente é chamado  de “disco man”, garante set do jazz ao house com uma mistura de músicas do sul de Londres; Jay West (Argentina), curador e produtor com uma carreira de 15 anos, tem um estilo único e respeitado e seu set é repleto de diversos gêneros como o soul, disco e funk vibes; Iury Andrew, atualmente é o DJ residente da festa Batekoo REC e Pink Lemonade e vai do afro-house ao brega-funk, dialogando com o pop e a black music; JV, o responsável por dar um novo gás no circuito de música do Recife, com o Coletivo Revérse, onde leva a cada palco um set diferente e único que flui entre diferentes estilos de música; Libra, produtora e DJ de música eletrônica de destaque na cena de Recife, além de diretora do curta Frervo; Patricktor4, DJ e produtor baiano, criador do Baile Tropical e especialista em reconectar sonoridades tradicionais a novas texturas urbanas. Pra completar, uma dupla residentes do MECA,  Dimas Henkes e Cleu Oliver, também faz parte do time representando a equipe nas picapes com brasilidades, disco, R&B e pop dançantes.

Além da programação intensa de DJs, acontecem os talks. “Música indígena contemporânea: uma riqueza ancestral do Brasil” será ministrado por Anapuàka Muniz Tupinambá (cofundador da Rádio Yandê e do Festival de Música Indígena YBY) e conversa sobre rap, música popular brasileira, hip hop – quantos estilos cabem na música indígena contemporânea e qual manifesto esse som carrega hoje? O idealizador da primeira rádio e do primeiro festival de música indígena do Brasil compartilha as percepções de um renascimento musical ainda pouco conhecido.

Luiz Arruda (head da WGSN Mindset na América Latina) fala sobre “O que os movimentos culturais sinalizam para 2021?”. Uma das maiores consultorias de tendência do mundo – a WGSN Mindset –  explica como os sinais do presente são indicadores das tendências de comportamento e cultura do futuro. Carlo Pereira (secretário-executivo da Rede Brasil do Pacto Global da ONU) propõe uma reflexão com o talk “Por uma vida mais sustentável na Terra até 2030”. Compartilhando o pensamento por trás dos 17 Objetivos Globais criados pelas Nações Unidas para alcançar um mundo mais sustentável até 2030. O objetivo global nº 13, “Ação Climática”, será a pauta de uma reflexão urgente sobre como está nas nossas mãos a construção do planeta em que desejamos viver.

O MECA também convidou personalidades reconhecidas em vários segmentos para bater um papo sobre essa identidade regional que dá forma para a cultura nacional, dentro e fora do país. O painel com Ana Garcia (diretora e fundadora do No Ar Coquetel Molotov), China (músico), Aslan Cabral (artista visual e pesquisador livre em arte digital e capital viral) e Amanda Mansur (doutora em Comunicação e professora do Centro Acadêmico do Agreste da UFPE) com mediação de Cleu Oliver (Gerente de Planejamento Criativo do MECA) discute sobre “Pernambuco é pop – Como os memes, o cinema e a música pernambucana dão identidade para a cultura do Brasil?”. Do Manguebeat ao brega-funk; do “Sanduíche-iche” ao “Teile e Zaga”; de “Baile Perfumado” a “Bacurau” –– todos os segmentos da produção cultural de Pernambuco provam que a cultura brasileira não seria a mesma sem a atitude pernambucana.

A programação ainda inclui o MECAMarket com mais de 25 marcas sob curadoria do Festival BON BINI, da Rara de Biase.

Programação diurna:

“Música indígena contemporânea: uma riqueza ancestral do Brasil” com Anapuàka Muniz Tupinambá Hã-hã-hãe / (cofundador da Rádio Yandê e do Festival de Música Indígena YBY)

“O que os movimentos culturais sinalizam para 2020?” com Luiz Arruda (head da WGSN Mindset na América Latina)

“Por uma vida mais sustentável na Terra até 2030” com Carlo Pereira (secretário-executivo da Rede Brasil do Pacto Global da ONU)

Painel “Pernambuco é pop – Como os memes, o cinema e a música pernambucana dão identidade para a cultura do Brasil?” com Ana Garcia (diretora e fundadora do No Ar Coquetel Molotov), China (músico), Aslan Cabral (artista visual e pesquisador livre em arte digital e capital viral) e Amanda Mansur (doutora em Comunicação e professora do Centro Acadêmico do Agreste da UFPE) com mediação de Cleu Oliver (Gerente de Planejamento Criativo do MECA)

Programação Main Stage: 

Tulipa Ruiz

Shevchenko & Elloco

Mombojó

Romero Ferro

Noporn

9K

Programação Side Stage:

Roger Weekes (Inglaterra)

Jay west (Argentina)

Patricktor4

Iury Andrew

JV (Revérse)

Libra

Dimas Henkes (MECA)

Cleu Oliver (MECA)

MECABrennand

Data: 14 de setembro de 2019, sábado.

Local: Oficina Brennand – Recife/PE

Horário: 15h às 6h

Ingressos: R$ 80,00 (primeiro lote)

Compre em http://bit.ly/MECA_Brennand_2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *