Mamam realiza exposição com um recorte feminista do acervo

Com o objetivo de ampliar as discussões sobre as diversas faces da relação arte e política, o projeto Das coisas políticas e as políticas das coisas promove uma exposição em todos os salões do Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães – Mamam (Recife). A mostra está prevista para o segundo semestre de 2021 e conta com obras de setenta e uma artistas mulheres do acervo do Museu. Além disso, a iniciativa conta com um grupo de estudos curatoriais, coordenado pela crítica de arte Ana Luisa Lima, cursos online gratuitos, uma série de debates online, uma publicação impressa sobre o processo e a aquisição de duas obras, das artistas Ana Lira e Milena Travassos, para o acervo do Mamam. A programação de lives e cursos acontece entre os meses de março e julho, e pode ser acompanhada através dos Instagrans do museu e do projeto.

Das coisas políticas e as políticas das coisas, surgiu a partir de uma pesquisa que busca tecer diálogos entre o acervo do museu e as demandas sócio-políticas contemporâneas. Dessa forma, questões como representatividade, gênero e lugar de fala são alguns dos pontos levantados pelas ações da iniciativa e pelo grupo de estudos curatoriais do projeto, que é formado por 13 pesquisadores que se encontram desde setembro de 2020 e que também compõem a equipe curatorial e editorial do catálogo da mostra. O projeto, incentivado pelo Funcultura – PE 2018-2019, enxerga na arte um lugar possível de estabelecer conversas críticas com as diversas culturas e com a sociedade, e em seu catálogo impresso tem a intenção de acentuar e refletir sobre as perguntas necessárias sobre as ausências de artistas e suas representatividades de gênero, classe social, etnia e racialidade na construção de acervo do Museu.

A programação, ainda em construção, conta até agora com as seguintes ações que tem data definida:

LIVE Conversa “Das coisas políticas e a política das coisas”

Participantes: Ana Luísa Lima e Mabel Medeiros

Data: 24 de março às 19h, através do Instagram do Mamam

MINICURSO “Das coisas políticas”

Facilitadora: Ana Luísa Lima

Data: 7, 14, 21, 28 de abril, HORÁRIO, através do Google Meet

Carga horária: 16h

Vagas: 30

Inscrições: link será disponibilizado na bio do Mamam

MINICURSO “Outro museu só pode existir depois que este acabar (museus, monumentos e miradas decoloniais)” 

Facilitador: Bruno Oliveira

Data: 7, 14, 21, 28 de julho, HORÁRIO, através do Google Meet

Carga horária: 12h

Vagas: 30

Inscrições: link disponível na bio do Mamam

A equipe curatorial da mostra é formada por:

Ana Luisa Lima, coordenadora do grupo de estudos, faz parte do conselho curatorial do MAMAM, é crítica de arte, editora e escritora, PE.

Kalor (Camaragibe, 1990), mãe, suburbana, preta e brincante, artista do audiovisual, da performance, da música. Crítica cultural e curadora de cinema. Diretora. Jornalista e roteirista. Em 2017 foi presidente do conselho de cultura da sua cidade, Camaragibe, e diretora de Igualdade Racial no mesmo município. Dedica-se à democratização da cultura e é gestora e co-fundadora do Centro Cultural A Casa de DonArlinda.

Letícia Barbosa, performer, curadora autónoma e arte-educadora, PE.

khadyg fares é nascida em SP, neta de avó alagoana com mãe paulistana e pai libanês é pesquisadora com foco nos estudos anticoloniais e da imagem. Integra o Grupo de Estudos MAAR (Mídias, Afetos, Artes e Resistências) e Coletivo LuscoFusco.

Marcel Diogo, negro, marginal, periférico, suburbano. Trabalha como artista e professor, MG.

Michelle Bastos, mestre em fotografia contemporânea, Bacharel em Artes, Cientista Política e Antropóloga. Fotógrafa e editora de fotografia, biógrafa de Dulcina de Moraes e criadora da primeira editora brasileira de fotolivros dedicada a publicar mulheres, a Editora Estrondo. Vive e trabalha em Brasília/DF.

Aline Oliveira, Mestre em História e Critica de Arte pela UERJ. Arte-educadora e curadora. Seus campos de pesquisa são as relações entre literatura e arte, fotografia e violência contra mulher.

Eduarda de Oliveira, graduanda em Licenciatura em Artes visuais, pesquisadora, curadora, artista visual e educadora museal, PE.

Priscila Barros, professora de Língua e cultura, admiradora das Artes Visuais. PE.

Michele Medina, graduanda em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Espírito Santo, atua nas áreas de curadoria e crítica de arte. Pesquisadora com foco nas histórias das exposições. ES.

Emmanuelle Oliveira, Graduanda em história, UNICAP, Recife- PE.

Letícia Asfora Falabella Leme, mestranda em história, na área de História da Arte, Unicamp, SP.

Flavia Gomes foi co-fundadora do Elefante Centro Cultural em Brasília, onde atuou como diretora artística por três anos, desenvolvendo projetos de curadoria com artistas locais, programas públicos de educação (cursos, talks, oficinas) e programas de residência artística com artistas brasileiros e estrangeiros, dentre outras iniciativas. Possui mestrado pelo Royal College of Arts em Londres, onde realizou pesquisa sobre a escultora Maria Martins no contexto das mulheres surrealistas exiladas em Nova York na década de 1940. Atualmente reside em Xangai, onde pesquisa e leciona história da arte.

Além disso, integram a exposição com obras, as artistas: Adriana Varejão, Ana Tereza Cavalcanti, Alice Vinagre, Ana Vaz, Brígida Baltar, Carmela Gross, Celina Cezário de Melo, Claudia Jaguaribe,Dila, Dora Longo Bahia, Elida Tessler, Eugênia Harten, Fábia Lívia, Flávia Paiva, Flávia Ribeiro, Gilda Macedo, Graciete Paes, Guita Chariffer, Inalda Freire, Ione Cristina Morais Pessoa, Ione Tavares, Isa Pontual, Juliana Notari, Kátia Lócio, Ladjane Bandeira, Leda Catunda, Lenita Costa, Lia Bezerra, Lilian Lima, Liliane Dardot, Louise Weiss, Lúcia Koch, Inalda Xavier, Maria Amélia Maia, Maria Bonomi, Maria Carmen de Queirós Bastos, Maria das Graças F. Cassotti, Maria das Graças Valadares, Maria de Fátima Pombo de Barros, Maria de Jesus, Maria de Noronha, Maria Nazaré, Maria Tomazeli, Marianne Peretti, Marilá Dardot, Marileide Alves, Marly Mota, Marisa Lacerda, Nieda Beurlen, Nilza Torres de Melo, Odaléa Ribeiro Loureiro, Oriana Duarte, Paula Trope, Regina de Paula, Renata Lucas, Rosana Ricalde, Rosângela Rennó, Rosemeire Pepe, Sandra Cinto, Sara Ramo, Sílvia de Leon Chalreo, Solange Magalhães, Stela Maris Alves de Oliveira, Tarsila do Amaral, Tereza Costa Rego, Thereza Carmem, Tomie Ohtake, Valery Laverne, Wilma Lacerda, Yvanise e Zila Mars.

Das coisas políticas e as políticas das coisas

Instagram:  @mamamrecife e @dascoisaspoliticas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *