Médico explica processo de mudança de hábitos alimentares e rotulagem dos alimentos

A mudança do hábito alimentar é uma das tarefas mais difíceis na rotina dos pacientes. De acordo com o médico Humberto Arruda, especialista em medicina preventiva, ortomolecular e parenteral, 99% das pessoas que buscam seu consultório para melhorar a alimentação apresentam casos de ansiedade e depressão. A longevidade está completamente relacionada ao que você come. “A mudança nos hábitos alimentares pode ser a primeira de muitas outras que os novos tempos estão exigindo de nós”, alerta Humberto.

Com o passar do tempo, os hábitos tornam-se comportamentos automáticos aprendidos e estes são mais fortes do que novos hábitos. Mudá-los significa alinhar a mente com o corpo e pensar de forma diferente sobre dieta e estilo de vida. A mudança de hábito alimentar nada mais é do que ter a consciência dos alimentos consumidos. . “A origem do alimento importa e é imprescindível que a comunicação siga à risca os anseios das gerações e seja cada vez mais inclusiva, educadora e engajadora”.

Humberto Arruda lembra que, um dos principais objetivos da revisão das atuais normas brasileiras para rotulagem dos alimentos, de acordo com a Anvisa, é facilitar a compreensão das informações nutricionais pelo consumidor. Para isso, faz parte da proposta deixar mais visíveis e legíveis os dados nutricionais nos rótulos, o que permitirá fazer comparações entre produtos e reduzir situações que geram engano. Isso permite que a população faça escolhas conscientes a respeito de produtos que aumentam o risco de obesidade e doenças cardiovasculares, entre outros.

Na reeducação alimentar, o café da manhã é o maior desafio. Abaixo, o médico lista alguns itens que estão presentes na primeira refeição do dia:

Água alcalina: Não é só H2O que tem dentro da garrafa de água que compramos. Há muitos outros componentes, como sais minerais, cálcio, carbonatos, sulfatos, sódio, magnésio, entre outros. A água alcalina melhora a oxigenação celular e auxilia na digestão e ganhou fama por causa da promessa de equilibrar a acidez do organismo. O médico alerta que existem águas no mercado que possuem ph de refrigerante;

Glúten: O consumo de glúten é extremamente danoso à saúde: baixa a testosterona, causa infertilidade e o médico alerta que, muitas vezes, a infertilidade do casal  e problemas para engravidar está relacionado ao consumo do glúten;

Ovo: O médico ressalta que o ovo é rico em muitos nutrientes. Não existe nenhum trabalho científico que comprove que o ovo cause aumento do colesterol, pelo contrário, também é rico em vitamina A, previne catarata, cálcio, entre outros.

Melancia: Para quem quer emagrecer, é uma das melhores frutas que ajudam neste processo. Tem índice glicêmico alto, mas carga glicêmica baixa.

Assista o IGTV:

 

Siga-nos
0
20

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *