O poder antiinflamatório do açafrão

O uso do açafrão das Índias é conhecido há séculos. Inicialmente essa especiaria era usada para tingir tecidos, papel, utensílios e na cosmética também. Posteriormente passou a ser utilizado na alimentação, como conservante e especiaria. O seu uso está globalizado em todo o mundo porém a frequência da sua utilização só é considerável, e praticamente diária, no continente Asiático.

Mas qual o poder antiinflamatório que o açafrão/cúrcuma tem?

A Curcuma longa L. é uma planta pertencente à família das Zingiberaceae e conhecida popularmente na Índia como açafrão da Índia, açafrão, açafroa, açafrão-da-terra, cúrcuma, gengibre dourado e mangarataia. No Brasil, o açafrão ou cúrcuma longa está sendo amplamente usado em alimentos, cosméticos e fitoterápicos naturais pois o mesmo tem um poder antiinflamatório muito grande. A curcumina é um pigmento amarelo, ou seja, é o que dá a cor do açafrão e também é o principal componente obtido do rizoma seco da planta. A mesma contém fitonutrientes antioxidantes fortes, denominados curcuminóides que atuam nas vias inflamatórias e são antioxidantes. A cúrcuma contém ainda, em sua composição óleos essenciais que são: a  turmerona e cetonas aromáticas. Porém, mesmo com todos esses benefícios é contra indicada na gravidez, necessitando de orientação médica e o uso em excesso pode vir a causar enjoo e irritação gástrica. As formas de administração são: por meio da decocção do rizoma, infusão, tintura, pó micronizado, extrato seco e extrato padronizado.

De acordo com um estudo feito por PERES et al. em 2015, as propriedades antinflamatórias atribuídas à cúrcuma melhoram a resposta do cortisol (hormônio corticosteroide produzido pela glândula adrenal, envolvido no processo alérgico e inflamatório) nos locais de ação, sem desencadear efeitos secundários dos mesmos. A ação antiinflamatória atribuída à presença de grupos fenólicos em sua molécula, se dá pela influência nas vias de inflamação, atuando negativamente na ativação de fatores de transcrição relacionados ao processo inflamatório.

“Ou seja, a cúrcuma atua contra a inflamação de rinite, sinusite, obesidade, doenças inflamatórias intestinais, entre outras. Além disso, ela atua na imunidade, sendo gripe até combate ao câncer; melhora a resposta da glicemia e  diminui a resposta do extresse oxidativo, ou seja, combate os “famosos” radicais livres”,  explica a Nutricionista Catarina Figueirêdo.

E aí, será que a cúrcuma/açafrão tem poder fitoterápico?

  

NUTRICIONISTA CATARINA FIGUEIRÊDO

Instagram: @nutricatarina_figueiredoo

@paremforma

Fone: (81) 99910-3268

Email: catarinanutri@outlook.com

Nutricionista Catarina Figueirêdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *