Os cuidados necessários com os pés antes, durante e depois das atividades físicas

 

A podóloga Amanda Araújo, da rede de lojas All Pé, destaca dicas de higiene e manutenção para evitar a proliferação de bactérias e de fungos facilitadores de calos, feridas e odores, entre outros inconvenientes no dia a dia

 Cuidar da saúde e do corpo é uma tendência cada vez maior, principalmente através de práticas esportivas que ganham novos conceitos e modalidades, e logo despertam a curiosidade de muitos por treinos intensos e com resultados que podem ser notados de forma mais rápida, geralmente. No entanto, os cuidados precisam ser redobrados em algumas partes para que novas patologias não surjam, ganhem dimensões inconvenientes e atrapalhem as investidas assim como a podóloga Amanda Araújo alerta através da rede de lojas All Pé, com unidades no Espinheiro e em Olinda (Patteo Shopping).

 Ela, que trabalha com foco nos pés, lembra da importância de atividades físicas com o uso de meias e tênis confortáveis para amenizar os atritos. “Precisamos ter em mente que essas meias devem ser lavadas e/ou trocadas com frequência para que o suor e o clima abafado não sejam facilitadores de bactérias e de fungos, desenvolvendo calos, que são as feridas superficiais, calosidades que são aquelas de aspecto machucado mais profundo e doloroso, e até (mau) odor, o famoso chulé”, explica Amanda. As precauções não param por aí. “Quem tem mais sensibilidade à dor, pode usar recursos como calcanheiras, fitas adesivas e palmilhas especiais para amortecer os desconfortos e impactos, além da troca periódica do tênis mediante ao desgaste ou até a prática de corridas e de caminhadas em ambientes cujas pisadas são diferentes”.

 A especialista reforça ainda que cuidados como investir no relaxamento através de escalda-pés, lavar bem a área no banho, especialmente entre os dedos, utilizar cremes hidratantes e secar por completo fazem a diferença de forma significativa. “Prezar por unhas cortadas é outro ponto que não deve ser deixado de lado, afinal podem encravar, gerar cheiro desagradável por acúmulo de resíduos, umidade e ocasionar micose se não for realizado o corte a cada 20 dias, em média”, orienta Amanda.

 

Em tempo, a remoção das calosidades pode apresentar riscos à saúde, principalmente de pessoas com fragilidades crônicas. Para tanto, Amanda orienta que portadores de diabetes ou doença arterial periférica, que geralmente possuem pele sensível ou má circulação nos pés, consultem o seu profissional de saúde, por precaução, antes de qualquer procedimento. “Todo cuidado é pouco para evitar outras infecções oportunistas e complicações”, conclui a podóloga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *