Protetor solar não deve ser dispensado no inverno

O inverno no hemisfério sul já começou e segue até o mês de setembro. Nessa época do ano, as temperaturas mais amenas podem disfarçar o perigo de dispensar o uso diário do protetor solar. Mesmo em dias nublados. Estudos apontam que a radiação solar no inverno brasileiro também é prejudicial e pode ser comparada ao verão na Europa.

O câncer de pele é uma das consequências mais graves da exposição à radiação solar. No Brasil, esse é o câncer mais frequente na população e corresponde a 30% de todos os tumores malignos registrados no país, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Mesmo assim, esse tipo apresenta alto percentuais de cura, se for detectado precocemente. As áreas do corpo que mais precisam ser protegidas são rosto, membros superiores, região cervical e tórax.

O oncologista da Oncoclínica Recife, Igor Montenegro, explica ainda que, além de passar o protetor solar, é importante repor o produto. “Os horários mais críticos à exposição são os de maior intensidade solar, geralmente entre 10h e 16h. O protetor solar deve ter fator 30, pelo menos, e deve ser colocado de 15 a 30 minutos antes da exposição solar, a fim de que possa ser formado um filme protetor sobre a pele. O mesmo deve ser reaplicado a cada duas horas”, explica.

Montenegro afirma ainda que apesar de as pessoas de pele mais clara necessitarem de maior proteção, todas as pessoas se beneficiam do uso de filtro solar, pois ele age não apenas na proteção contra tumores de pele, mas também evitadanos solares como envelhecimento precoce.

 

 

Leia também: