Skol testa carrinho de compras que auxilia pessoas com deficiência visual nos supermercados

Depois de ter possibilitado pessoas com deficiência auditiva curtirem o Carnaval com mochilas que reproduzem as batidas da música, a Skol quer facilitar a vida de quem não enxerga quando o assunto é ir aos supermercados.

De acordo com dados do IBGE, existem mais de 6,5 milhões de pessoas com alguma deficiência visual no país. É muita gente. Pensando nisso, a marca procurou pessoas sem qualquer visão ou com alguma dificuldade para enxergar para mapear suas necessidades. Entre as reclamações, uma recorrente foi de algo simples e cotidiano: fazer compras em um supermercado pode não ser tão fácil quanto deveria.

Nos relatos, as pessoas com deficiência contaram que, mesmo que a maioria das lojas tenha funcionários disponíveis para ajudá-los, muitos não têm treinamento para fazê-lo da forma adequada.

Como SKOL acredita que ir ao supermercado e comprar uma cerveja deveria ser uma experiência descomplicada para todos, a marca está apoiando um projeto que abre a roda da inclusão e dá mais autonomia às pessoas cegas na ida às compras.

Em um primeiro momento, o carrinho acessível da SKOL foi testado na cidade de São José, na Grande Florianópolis (SC). Em desenvolvimento há pelo menos um ano e meio, o projeto foi concebido pela Paim Comunicação e desenvolvido pela D2G Tecnologia, contando com a ajuda de pessoas com deficiência visual e da Acic (Associação Catarinense de Integração ao Cego).

O mercado dos testes foi todo mapeado previamente pela empresa de tecnologia e conta com vários QR Codes no teto, que se conectam com o carrinho por meio de Wi-Fi quando ele dá a partida. Diego Trindade e Grégory Gusberti, diretores da D2G, explicam que o robô tem uma plataforma própria e que pode se adaptar às necessidades dos usuários à medida que os testes forem acontecendo. O carrinho também conta com sensores que ajudam o usuário a interpretar obstáculos dinâmicos, como gôndolas extras, lixeiras ou pessoas.

Por meio de uma barra sensível ao toque, o deficiente visual posiciona as mãos autorizando o carrinho a andar, e, com um fone de ouvido e microfone, segue as instruções da inteligência artificial. Até o momento, 19 produtos foram cadastrados. Ao chegar na gôndola solicitada, há uma escrita em braile que facilita a confirmação do deficiente visual. Ao fim das compras, o carrinho se dirige automaticamente para o caixa preferencial de acessibilidade.

“Sem o suporte de SKOL e da Cervejaria Ambev, projetos como esses dificilmente sairiam de uma sala de universidade ou ganhariam a proporção que podem alcançar. Além disso, a partir deste carrinho acessível inúmeras outras ferramentas que auxiliam pessoas com deficiência visual poderão surgir”, disse Trindade, da D2G.

“Para SKOL, uma coisa só é legal se for igual para todo mundo. E fazer compras não seria diferente. A marca está abrindo a roda da inclusão e apoiando uma iniciativa inovadora e democrática que é cara de SKOL e tentando tornar mais simples a vida das pessoas com deficiência visual”, diz Maria Fernanda Albuquerque, diretora de marketing de SKOL.

Para conferir como foi a semana de teste e ouvir o depoimento de alguns consumidores, basta acessar o vídeo: https://youtu.be/Iy5gNj7_M8g

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *