Sobre envelhecer

Uma propaganda recente nos pergunta se já paramos para pensar o que seremos quando envelhecer. Parece que este dia nunca vai chegar, conseguimos aprender a correr contra o tempo com o auxílio de tinturas para cabelo, creme para rugas, botox, preenchedores e tudo aquilo que nos faça esquecer um pouco da nossa finitude diante do espelho. Muitas vezes conseguimos, mas as marcas são inexoráveis por dentro, seja na alma ou nas nossas amadas células.

Até algum tempo atrás estávamos acostumados, digamos assim, a morrer cedo. Então os paliativos eram bem-vindos e nos davam um certo conforto. No entanto, o corpo vai parando de funcionar em estado de alta performance. É natural que nossa máquina exposta à poluição, corre-corre, pressão, má alimentação, sedentarismo, entre outras coisas, por si só já sofre e muito.

Concomitante a isto ainda temos a natureza como aliada nos mostrando que podemos dar uma pausa nos cabelos brancos, mas não no processo de envelhecimento celular. Se já não temos mais a finalidade de procriar, para que manter um complexo conjunto de estruturas que demandam tanta energia?

Assim vêm as pausas hormonais e suas consequências, como mudança do metabolismo, depressão, osteoporose, perda de prazer ou interesse sexual, aumento da gordura corporal, diminuição da memória, risco maior de derrame, infarto e demência, só para citar as mais comuns.

Quando a gente fala de tudo isto, muitas pessoas talvez achem que o “normal” é passar por todo este processo e ir tomando remédios que vão, digamos, mascarando aos poucos todas as nossas doenças. Entretanto, hoje podemos programar sim como queremos envelhecer. Quando me perguntarem se eu já pensei o que vou ser quando envelhecer, já tenho a resposta: uma senhorinha muito feliz, elegante e com a saúde que pode ser possível nesta faixa da vida, aproveitando todas as histórias que venho colecionando até hoje. Se você também está comprometido com você além do espelho a longo prazo, eu te pergunto, por que não agora?

A medicina da longevidade não é charlatanismo e não propõe a fonte da juventude eterna e da imortalidade, mas sim, promete uma melhora na sua vida a longo prazo. Que tal também desenrugar suas células? Um abraço e muitos anos de vida produtiva a todos.

por Dra. Fernanda Mossumez
Doutora em cirurgia geral, especialista em medicina estética, especialista em medicina da longevidade

Matéria publicada na edição 49 Terra Magazine

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *