Tecnologia Inbra Blindados ganha novo representante em Pernambuco 

Quase dois milhões de crimes contra o patrimônio com um carro roubado ou furtado por minuto no Brasil foram registrados entre 2015 e 2016, de acordo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Um cenário que torna cada vez mais a segurança, como a principal preocupação do brasileiro, que busca proteção pessoal e da família.

Diante da realidade atual do país, com aproximadamente 208 milhões de cidadãos, o Brasil detém a maior frota de veículos blindados do mundo, com aproximadamente 17 mil veículos blindados em 2017, deixando para trás países como o México, segundo maior mercado de blindagem, que tem uma população de 127 milhões de pessoas, com 6 mil veículos blindados no ano passado.

Esse mercado se aprimorou e passou a desenvolver produtos com alta performance balística e durabilidade, e vem projetando crescimento de 15% em 2018, em um movimento que acompanha a alta da violência no país. O serviço que inclui aplicação de vários tipos de materiais com resistência balística e que aumentam a segurança, está cada vez mais acessível ao consumidor brasileiro. Em um comparativo, o custo há 10 anos permanece nas mesmas bases de valores, a partir de 40 mil reais, com isso, favorecendo o acesso ao serviço do público de classe média.

Especialmente para o público acima dos 40 anos, que correspondem hoje à 57% do total de usuários do sexo masculino e cerca de 43% feminino, e que procuram os veículos equipados com blindagem contra armas de fogo. Os carros blindados se tornaram o tipo mais confiável de direção para clientes de diversas áreas de atuação.

Profissionais liberais, empresários, executivos e famílias brasileiras de diversas faixas etárias e realidades sócio demográficas buscam esse investimento como uma necessidade essencial para seus cotidianos.  Mas, para a execução deste serviço é fundamental a busca por empresas especializadas e com expertise no segmento.

Em entrevista com o empresário Arthur Pereira, diretor da NEO BLINDADOS, que comanda a empresa há mais ou menos seis meses. Engenheiro de formação, o executivo representa com exclusividade em Pernambuco a Tecnologia Inbra Blindados, empresa 100% nacional considerada uma das maiores potências no setor, fundada há 40 anos, sinônimo de qualidade, excelência e inovação, aplicadas em seus produtos, quesito que a tornou uma das maiores fabricantes brasileira de equipamentos de proteção à vida.

Arthur Pereira – Diretor da NEO BLINDADOS

Terra Magazine – Como está o cenário atual de blindagem de veículos?

Arthur Pereira – O mercado de blindagem vem crescendo gradativamente e tornando-se mais acessível no Brasil. Para se ter uma ideia, o custo médio da blindagem gira em torno de 50 mil reais, há 10 anos e continua nesta faixa de preço. As perspectivas para o futuro são ainda mais interessantes, uma pesquisa realizada pela empresa Future Marketing Insights que exibe uma profunda análise de diferentes aspectos desse mercado, sua aplicação e suas demandas. De acordo com a pesquisa, o crescimento da demanda por vidros à prova de bala está sendo desencadeado por uma reviravolta nas indústrias automotiva, de infraestrutura e de defesa. Em todas elas o uso dos vidros blindados é facilmente perceptível. A previsão é de que o crescimento alcance o montante de US$6.100 milhões de dólares até o final de 2026, o que representará Taxa de Crescimento Anual Composta de 9.0% dentro da previsão para um período de oito anos.

A explosão no segmento automotivo é considerado o fator chave para o crescimento do setor de vidros blindados globalmente. Espera-se uma enorme demanda em relação ao uso de vidros blindados nos veículos que estão por entrar no mercado. Fabricantes de vidros blindados investem em pesquisas e desenvolvimento para criar novos e mais leves produtos em seus portfólios.

Terra – Quais tipos de veículos são mais apropriados para receber blindagem?

Arthur – De forma geral a blindagem se adapta a todos os modelos de carro civil que encontramos no mercado. Mas, o cliente deve atentar que a implementação do kit balístico cria um sobrepeso no veículo, sendo recomendado para um veículo que tem um motor mais potente e uma distância um pouco maior do solo.

 Terra – Qual é o perfil do consumidor de carros blindados?

 Arthur – É bem diversificado, antes era restrito apenas para classe AA, deixando de ser um artigo de luxo e atualmente abrange a classe A e a classe média, que estão preferindo economizar em um carro novo de menor valor para investir na implementação da blindagem. Normalmente, são pessoas acima de 40 anos e que tem a preocupação e as condições para investir neste tipo de solução de segurança para o seu dia a dia.

Um número grande de famílias priorizam as blindagens nos carros das esposas, uma vez que costumam transportar crianças, mas, esta é apenas uma fatia da clientela que busca a segurança oferecida pela blindagem, temos também vários empresários que atuam em diversos segmentos, os profissionais liberais e os médicos, em especial que fazem plantão à noite. Da mesma forma, temos ainda neste cenário um universo grande de clientes que sofreram tentativas de assalto e/ou sequestro.

Terra – Quais os padrões de blindagem mais comuns no Brasil?

 Arthur – Existem vários padrões e níveis de blindagem sendo os de uso civil regular, os níveis 1, 2 e 3A. Na NEO BLINDADOS implementamos o nível 3A, que é aquele que resiste ao poder balístico de uma Magnum 44, que é a maior arma de mão do mercado.

Terra – Quais cuidados o consumidor deve observar quando for efetuar a compra de uma blindagem ou de um veículo já blindado?

Arthur – É interessante procurar uma empresa com nome consolidado e que seja referência de mercado. Existem casos de muitas blindadoras que fecharam as portas por não cumprir com as garantias. A empresa que represento, por exemplo, a Inbra Blindados tem operação consolidada no mercado nacional e está estabelecida no mercado pernambucano há mais de 15 anos.

Terra – Quais os diferenciais do produto que você representa?

Arthur – A solução técnica da tecnologia Inbra Blindados, é projetada para todo o habitáculo do veículo, vidros e carroceria, sendo fruto efetivo e dimensionado em projeto de engenharia, diferentemente do processo artesanal de uso regular do mercado.

Terra – Como se dá a manutenção de um veículo blindado?

Arthur – O veículo blindado deve ter sua revisão anual como rotina, como todo veículo que foi modificado o blindado precisa e deve ter a manutenção periódica, onde serão revisados vários itens para que o veículo mantenha o seu bom estado de funcionamento.

Lembre-se você está comprando por SEGURANÇA e esse é um valor inestimável.

 

Entrevista exclusiva para a 46ª edição Terra Magazine – Por Ivelise Buarque

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *