Toalheiro elétrico em casa: arquitetas tiram as principais dúvidas

As arquitetas Cristiane Schiavoni e Isabella Nalon trazem informações sobre esse item tão importante para deixar o banheiro ainda mais confortável

Banheiro com toalheiro elétrico na parte externa do box de vidro em casa projetada pela arquiteta Isabella Nalon | Foto: Julia Herman

Engana-se quem pensa que o banheiro não tem espaço para inovações tecnológicas que tornem a rotina dos moradores mais gostosa e prática. Com baixo consumo de energia elétrica – em geral de até 100 w –, e sem exigir quebra-quebra na instalação, os toalheiros elétricos se tornaram um equipamento muito eficiente para secar o enxoval de banho e higienizar. “Considero o conforto a principal motivação para usar um acessório desse. É muito gostoso sair de um banho quente e se enxugar numa toalha também quentinha”, explica a arquiteta Cristiane Schiavoni, do escritório Cristiane Schiavoni Arquitetura e Interiores. Além do bem estar, a profissional ressalta outro benefício: ao secá-las no toalheiro, evita-se o odor desagradável gerado quando a toalha fica muito tempo molhada.  “Em dias frios, sabemos que se torna mais complicado secar a tolha ao natural’, destaca.

Outra vantagem está relacionada à higiene, pois o uso do toalheiro elétrico contribui para evitar a proliferação de ácaros e fungos que surgem em ambientes úmidos. “Em cidades frias e úmidas, os toalheiros térmicos são imprescindíveis para garantir o bem-estar e o asseio das peças”, revela a arquiteta Isabella Nalon, à frente do escritório que leva seu nome.

Um grande mito que envolve esse tipo de toalheiro está relacionado ao consumo de energia elétrica, que muitos afirmam ser alto. Mas ao contrário, o consumo é relativamente baixo e pode ser atestado pelo comparativo: 4 horas do toalheiro ligado consome o mesmo que uma lâmpada. “Bem pouco se formos comparar com uma secadora de roupas funcionando por 1 hora”, relativiza Isabella.

No quesito instalação, para o funcionamento do toalheiro é necessária uma tomada com aterramento alocada em um ponto que não receba água do chuveiro. O mercado dispõe de toalheiros térmicos de piso e de bancada fabricados de diferentes tamanhos: para uma, duas toalhas de banho e até para toalhas de rosto. “Gosto de colocar a parte mais alta do toalheiro a 1,40 ou 1,50 m do piso. Como fica a 35 o a 40o, não queima e não oferece riscos de provocar choque”, reforça a arquiteta Isabella Nalon.

Toalheiro elétrico posicionado na área interna do box. Projeto assinado por Cristiane Schiavoni | Foto: Carlos Piratininga

A arquiteta Cristiane Schiavoni defende o uso do toalheiro dentro do box, desde que não ofereça nenhum risco de contato com a água do chuveiro. “Isso é um cuidado de segurança, pois eletricidade e água não combinam”, conta. Se for deixar do lado de fora, convém deixar bem perto do box para que os usuários não sejam expostos ao frio até pegar a toalha.

Com diferentes tamanhos de toalheiros elétricos, é possível instalar até em ambientes pequenos, desde que seja observado o cuidado para que a toalha não encoste em nenhuma peça do banheiro. Essa medida resolve uma questão importante, já que banheiros menores costumam ser pouco arejados, dificultando a secagem da toalha.

“Antigamente, os toalheiros eram considerados itens de luxo, mas hoje, se tornaram um item mais comum, sendo possível encontrar modelos com valores bem acessíveis”, finaliza Isabella.

Cristiane Schiavoni

www.cristianeschiavoni.com.br
@cristianeschiavoni

 

Isabella Nalon

@isabellanalon
www.isabellanalon.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *