BITH11, o primeiro ETF verde do Brasil

Especialista em criptomoedas comenta sobre o ETF sustentável da B3 e explica por que investir em fundos de índice é uma boa opção

Você conhece o primeiro ETF verde no Brasil, o BITH11, que recentemente estreou na bolsa? O novo fundo de índice de bitcoin com proposta ecológica ajuda a neutralizar o alto consumo das emissões de carbono ocasionado pela mineração da criptomoeda.

Os ETFs são fundos passivos que se mostram como uma alternativa para investidores diversificarem a carteira de aplicações por um custo mais acessível. Criado pela gestora Hashdex, o BITH11 é o quarto ETF de criptomoeda disponível no mercado de ações brasileiro. Entre as outras opções está o HASH11, primeiro lançamento da Hashdex, além do QETH11 e QBTC11, da QR Assets.

“Cada ETF possui sua própria estratégia de investimento. O HASH11, por exemplo, funciona através de uma cesta de ativos, então é interessante para aqueles que são mais ocupados ou não entendem muito sobre criptoativos. O QETH11, QBTC e BITH11 podem ser comprados em corretoras tradicionais de venda de bitcoin que não cobram as taxas de administração do ETF que geralmente são cobradas nas corretoras de bolsa. Por isso, são boas opções para as pessoas que querem aumentar o capital. O diferencial do BITH11, primeiro ETF de bitcoin ecológico, é comprar bitcoin com um percentual em créditos de carbono”, explica Tasso Lago, especialista em criptomoedas e fundador da Financial Move.

O ETF BITH11, assim como o QBTC11 que também foi lançado recentemente, possui 100% de exposição ao bitcoin. Seu diferencial está na possibilidade de o investidor operar de maneira ecologicamente responsável, sendo capaz de investir até 0,15% de seus ativos líquidos em créditos de carbono e tecnologias sustentáveis a cada ano. O crédito de carbono é um mecanismo feito para conscientizar as empresas a realizarem o investimento em criptomoedas de uma forma menos prejudicial ao meio ambiente.

“Funciona da seguinte maneira. Cada empresa possui sua cota máxima na emissão de poluentes que, caso seja ultrapassada, deve ser compensada com a compra do crédito de carbono. As empresas mais eficientes no consumo de energia, ou seja, que poluem menos que o permitido, podem vender seus créditos e monetizar. Assim, esse processo acaba se tornando um estímulo financeiro, com a obtenção de receita ou penalização através de cobranças, para incentivar a adequação ao padrão recomendado para o meio ambiente”, diz Tasso.

Para medir a eficiência do BITH11 serão produzidos relatórios anuais, feitos pela empresa alemã Crypto Carbon Ratings Institute (CCRI), com cálculos e estimativas do consumo de energia relacionados aos bitcoins adquiridos pelo fundo. Após o sucesso na sua estreia, a Hashdex prevê o lançamento de mais um ETF, dessa vez com foco na criptomoeda ethereum, que possui 100% de exposição ao ether (ETH).

A chegada de novas opções de investimentos em criptomoedas está reformulando o setor no país, permitindo que sejam feitas compras e vendas de Bitcoin de maneira mais segura e rentável. Entretanto, é preciso ficar atento antes de escolher um fundo para investir o capital. “É preciso entender o ETF, no que ele investe, em qual setor ele se expõe e quais as suas taxas de administração. A partir daí você consegue julgar se é um bom investimento e se ele se adequa às suas necessidades”, finaliza.

Tasso Lago: Especialista em criptomoedas e fundador da Financial Move, está na área de finanças desde 2012. É pós-graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – COPPEAD e Mestre em Finanças Corporativas pela Université de Bordeaux. Começou atuando na Inteligência de Mercado da Fundação Getúlio Vargas, e em 2017 atuou no banco da IBM Global Finance como Analista Financeiro do mercado norte-americano, sendo responsável por contas como Michelin, Cisco Systems e gerenciou contas estaduais e municipais dos Estados Unidos. Palestrante nos maiores congressos de economia e investimentos, atua como gestor de capital em sua empresa e é professor de Blockchain e Criptomoedas na COPPEAD.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *