I-PACE, inovação 100% elétrica da Jaguar

A sensação de velocidade na decolagem do avião é incrível, o impacto após o acionamento das turbinas, faz com que o passageiro da aeronave cole na poltrona. Imagine adrenalina multiplicada por 10, essa foi a experiência que tivemos ao testar o modelo 100% elétrico da montadora Jaguar, I-PACE. A aceleração linear instantânea gera um torque de 71kgf-m sem atrasos e sem interrupções da transmissão. Com 400 cavalos de potência e de acordo com a montadora faz de 0 a 100 km/h em apenas 4,8 segundos, chegando a 200km/h limitados eletronicamente. Um super esportivo disfarçado de SUV.

O instrutor da Jaguar, Victor Arrabal, em entrevista com o Dirija Auto esclarece sobre o funcionamento dos carros eletrificados.
Os veículos elétricos mecanicamente são mais simples do que os veículos a combustão, principalmente por conta do princípio de funcionamento. As peças como: pistões, virabrequim, comandos de válvulas, velas, correias e polias não são necessárias na versão elétrica, diminuindo a complexidade do carro.

O motor elétrico utiliza eletromagnetismo para funcionar, basicamente dentro dele possui imãs que se repelem e geram movimento. É o mesmo princípio de física que aprendemos no ensino médio – cargas eletromagnéticas de mesma polaridade se repelem. A vantagem do motor elétrico é possuir o mesmo princípio que um gerador elétrico. O momento que o motor elétrico transforma-se em um gerador é na hora da frenagem, quando o veículo começa a regenerar, deixa de ser motor e usa a energia mecânica para gerar energia elétrica retornando para bateria.
A inovação chega no I-Pace, o SUV de alta performance e emissão zero de dióxido de carbono. Seu design tem a mesma proposta da família PACE, a diferença está na arquitetura de alumínio que usa tecnologia avançada de rebitagem e colagem para fornecer uma estrutura leve e rígida, deixando mais silencioso, consumindo menos do que a construção de um chassi de aço tradicional. Equipado com dois motores controlados independentemente, um no eixo dianteiro, outro no traseiro e não existe nenhuma conexão mecânica complexa entre os dois eixos, a combinação destes 2 motores geram 696Nm de explosão instantânea.

A autonomia do I-Pace é semelhante a um veículo movido a combustão, permite rodar uma distância em média de até 415 km, logicamente de acordo com as condições de pilotagem do condutor, graças a bateria de íons de lítio de 90kWh, capaz de carregar de 0 a 80% em apenas 40 minutos em uma caixa de energia de 100kW DC.

O manuseio para carregamento do I-PACE é muito seguro até na chuva. O sistema é inteiramente protegido, isso significa que você pode completar a carga da bateria sempre que desejar para assegurar que o seu carro esteja pronto para uso quando precisar. Ao usar uma tomada doméstica, a velocidade de carregamento é menor do que com uma caixa de energia projetada para o abastecimento, mas carregando durante à noite será o suficiente para rodar durante o dia.

“A maior complexidade em um carro elétrico é a parte do controle eletrônico e um dos grandes desafios no desenvolvimento é o arrefecimento, onde existe a necessidade de refrigerar: bateria, motores e todos os componentes que trabalham com alta tensão”, finaliza Victor.

 

por Claudio Barreto

Publicado na edição 50 Terra Magazine

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *