REC’n’Play 2019 deixa um legado plantado na Praça do Arsenal

Experiências com novas abordagens para o planejamento, construção, gestão e operação de infraestruturas urbanas e serviços aos cidadãos são assuntos cada vez mais debatidos na construção de cidades inteligentes. Uma sociedade em constante mutação e com novas demandas por serviços modernos traz novos desafios para os governos, decorrentes dessa revolução tecnológica e social pela qual passamos. Atentos a estas necessidades, os pernambucanos Jaime Alheiros e Ricardo Gonçalves desenvolveram a IoTree. Trata-se de uma árvore para internet das coisas (IoT), abastecida com energia solar, podendo servir para estação de recarga de smartphones, tablets e patinetes elétricos, hotspot de wifi, plataforma de sensoriamento de poluição, temperatura, ruído, chuva, entre outras utilidades.

Inaugurada durante a terceira edição do Rec ‘N’ Play, essa árvore tecnológica instalada na esquina da Praça do Arsenal com a Rua do Bom Jesus, conquistou o público formando filas de espera entre os usuários que demonstraram-se entusiasmados com a novidade. Foram mais de 600 usuários em pouco mais de 3 dias. Hervila Batista, participante do festival, afirma que achou a ideia genial. Segundo a servidora pública, a ideia deveria expandir-se para outros pontos da cidade, pois é ideal para os momentos de emergência. “Estava com o celular prestes a descarregar e para piorar minha situação precisava resolver problemas do trabalho e não podia ficar incomunicável naquele momento. Além de fazer a recarga, ainda pude ficar sentada na sombra e de forma segura. Com certeza, seria um ganho para todos poder contar com a estrutura nos demais bairros” concluiu.

Quanto ao desenvolvimento desse novo produto para as cidades, Jaime Alheiros, explica que o projeto é realmente um filho do bairro do Recife, que brotou nas dependências do PortoMídia, na Rua do Apolo, 181, antiga base de operações do L.O.U.Co (Laboratório de Objetos Urbanos Conectados), um espaço maker criado por iniciativa do Porto Digital. Para a prototipação da ideia, que já era discutida desde 2014, ele ressalta que o apoio do parque tecnológico foi essencial e que desejam expandir essa plataforma de serviços para outras localidades. “Estamos plantando soluções! Falo isso não só para os recifenses, mas para outras cidades no mundo, pois acreditamos que esse projeto é totalmente escalável, nesse momento que o cidadão precisa estar cada vez conectado, e seguro, num mundo que está em migração para uma economia cada vez mais digital”, pontuou.

A árvore que é estruturada em aço com revestimento em madeira, é confortável, acessível para cadeirantes e fica toda iluminada à noite. Por possuir um design icônico, também serve como ponto de encontro e serve de referência para embarque de passageiros por aplicativo, além de ser adaptada para recarga de veículos elétricos de pequeno porte. “Fizemos um mobiliário urbano multipropósito. Nesse conceito de IoTree, é possível até colocar câmeras de monitoramento e ajudar na segurança dos espaços públicos e em eventos, por exemplo”, enumera Ricardo, lembrando as múltiplas utilidades da árvore, que como os seus pares da natureza, também gera sombra para proteger as pessoas do sol, que podem ficar ali tranquilamente sentados, enquanto mandam seus e-mails de trabalho ou postam suas fotos nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *