Profissões que passam de pais para filhos e como os herdeiros mantêm e multiplicam os negócios familiares

A nostalgia e comemoração da data relembram a influência paterna, mas também exaltam a importância das singularidades que, segundo pesquisas, movem, além das instituições deixadas, 65% do Produto Interno Bruto (PIB) e 75% dos empregos nacionais

Comemorado no dia 08 de agosto neste ano, o Dia dos Pais é uma data comemorativa que traz lembranças e movimenta a indústria e o comércio nacional. Os pais, exemplos e espelhos, são homenageados e recebem agradecimentos de seus filhos que, muitas vezes, seguem seus passos, caminhos e profissões. Segundo dados do Sebrae e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 90% das empresas do país são comandadas por familiares e passadas de geração para geração. Esse é o caso de Greice Ciarrocchi, empresária que herdou a CCS Tecnologia e Serviços SA. Fundada por seu pai, Almir Ciarrocchi, há 25 anos, a empresa brasileira está entre as maiores do mundo no segmento de fornecimento de peças de aço de alta complexidade, soldadas e montadas para empresas de máquinas de construção, mineração e agrícolas, além de empilhadeiras.

“Meu pai era visionário. Sempre o vi empreendendo em negócios, antes mesmo da CCS. Então, não tem como não ser influenciada por ele e eu vejo o mesmo em meu filho de nove anos e o quanto ele gosta disso também. Nós acabamos nos espelhando em nossos pais”, conta Greice, que, por influência de Almir, cursou administração na Universidade Estadual Paulista (UNESP), aos 17 anos. Aos 20, entrou na empresa da família e acompanhou o crescimento do empreendimento de perto. “Eu comecei quando a empresa era bem pequena e tinha somente oito funcionários. Eu fazia de tudo naquela época. Atendia telefone, negociava com clientes multinacionais, ajudava a entrevistar e contratar colaboradores. Na época, eu não sabia nada e fui aprendendo na prática e conquistando o meu espaço”, complementa.

Após 18 anos de aprendizado com seu pai e mentor, Greice precisou assumir, em 2017, o comando da CCS, quando Almir veio a falecer. “É desafiador não tê-lo mais lá, entretanto, eu tive a dádiva de o ter, por 18 anos, durante todos os dias da minha vida, até mesmo durante as nossas férias. Aprendi tudo com ele”, salienta a CEO, que, além da empresa, herdou de seu pai a garra e a coragem de fazer tudo acontecer e não deixar nada para depois. “Ganhei dele valores importantes para sempre escolher fazer as coisas pelo caminho do bem, da honestidade, da ética e da transparência, o que faz com que nós tenhamos muita credibilidade com todos os nossos clientes e colaboradores”, afirma Greice, que hoje lidera mais de 2 mil funcionários, divididos nas duas sedes próprias da empresa, uma em Limeira (SP) e outra em Palmeira (PR).

Desde o início de sua gestão até o crescimento da empresa, Greice enfrentou nos anos de 2015, 2016 e até meados de 2017 uma crise que quase levou a CCS à falência, passando por um aumento exponencial nos resultados, até a previsão, neste ano, de um faturamento de 1 bilhão de reais. O sucesso e superação ela credita ao que absorveu de seu mentor: fé, dedicação, persistência e sua singularidade ao gerir pessoas. “Nós pegamos tudo o que é bom da época do meu pai e analisamos o que era necessário mudar para fazer uma empresa melhor. Ele (meu pai) era mais ação, eu sou mais humanização, que é o meu diferencial. Sempre faço questão de saber como os funcionários estão e se estão enfrentando alguma coisa. Me coloco como aprendiz junto a eles, mesmo com a minha firmeza na liderança da empresa. Também mergulho no autoconhecimento e sou a favor de orientar as pessoas e dar oportunidade delas se conhecerem”, comenta.

A partir desse impulso, a empresária transformou a CCS em uma das melhores empresas para se trabalhar no país, sendo certificada, por três anos consecutivos, pelo Great Place to Work, consultoria global que seleciona, avalia e consagra as instituições brasileiras. Outra implementação de Greice e seu marido, Ricardo Perez, que também é diretor comercial da empresa, foi o desenvolvimento do Método NEXT – O Próximo Estágio para a Liderança, treinamento exclusivo que busca preparar coordenadores, gestores e diretores para uma liderança humanizada. “É o que está no meu sangue. Eu nasci para isso e é muito legal conseguir administrar um negócio e saber a responsabilidade que temos na vida das outras pessoas. Cada dia acontece alguma coisa e é preciso ter a coragem de tomar decisões todos os dias”, finaliza Ciarrocchi.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *