Festival WeHoo faz estreia com sucesso no Recife

O Wehoo Festival chegou grande, com nomes de peso e estrutura gigante. A primeira edição do evento open air foi neste sábado, num espaço ao ar livre localizado entre as cidades de Recife e Olinda, na Av. Agamenon Magalhães. A estrutura que contou com três palcos, estúdio de gravação ao vivo, lounge, além de um mega investimento em acessibilidade, com guias especializados, tradução em libras nos shows, camarote da acessibilidade e ainda a disponibilização de conteúdos em braile, como o mapa da estrutura do WeHoo.

Os shows começaram por volta das 15h nos palcos We Beat e We Groove, dedicado ao rap e e as novidades da cena musical, respectivamente. Por estes dois palcos passaram nomes como Diomédes, Papatinho, Matuê, Bhaskar, Nimbo, Bule, Biarritz e Barro.

Foto: Albérico Lopes

O palco Tropical Transforma era o principal e, por tanto, o maior deles. Este começou tudo às 17h com Mundo Livre S/A. Precursores do movimento Manguebeat, Fred Zero4 e banda abriram o palco que logo na sequência recebeu os mineiros da Lagum. E um dos pontos altos do show, o grupo entoou junto com o público a faixa “Deixa”, hit nas paradas de sucesso.

Duda Beat – WeHoo – Foto Albérico Lopes

Duda Beat deu sequência à programação do palco principal e abriu a lista dos nomes mais esperados da noite. Entre as músicas mais populares do show, estavam “Bixinho”, “Chega”, parceria com Mateus Carrilho e Jaloo, e a recém-lançada versão da faixa “Deixa eu te amar”. A apresentação da pernambucana radicada no RJ contou ainda com uma versão do bregafunk recifense “Chapuletei”, da dupla Shevchenko e Elloco. “Estive no Recife e ouvi um brega que gostei muito. Resolvi fazer uma versão e mostrar para vocês”, disse Duda.

Palco WeBeat foi dedicado ao rap e à música eletrônica – Foto: Albérico Lopes

Natiruts trouxe para o público as faixas do novo trabalho, “Love”, mas também investiram numa chuva das favoritas dos fãs, como “Quero ser feliz também”, “Sorri, sou rei” e” “Natiruts reggae power”. O grupo encerrou a apresentação com uma versão do clássico “Is this love”, de Bob Marley.

Um dos shows mais aguardados da noite, Jorge Ben levou para o palco o melhor dos mais de 40 anos de carreira. O artista carioca não deixou de fora os maiores sucesso da discografia, como “Taj Mahal”, “Mas que nada” e “Ive Brussel”. Já BaianaSystem foi o nome responsável por agitar o público para encerrar com chave de ouro o festival. A banda apresentou os sucessos do novo disco, “O futuro não demora”, como “Bola de cristal”, “Navio” e “O futuro não demora”, sem deixar de fora os sucessos consolidados “Lucro”, “Playsom” e “Duas cidades”.

Confira a galeria de fotos de quem circulou no evento assinada pelo fotógrafo Albérico Lopes:

Siga-nos
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *