Empréstimo com imóvel de garantia ganha força

A procura por crédito, ocasionado pela pandemia da Covid-19, cresceu vertiginosamente. Dentro desse cenário, vem se destacando o crédito com garantia real, chamado home equity, com taxas de juros a partir de 0,79% ao mês e prazo de pagamento estendido, podendo chegar a até 20 anos, além de carência de até um ano para o início de pagamento.

Somente no ano passado, entre os meses de janeiro e junho, o total de novos contratos chegou a 11.151 e o volume emprestado já ultrapassou os R$ 2,3 bilhões. Em junho, eram 95.293 contratos, somando todos os ativos, que correspondem a um saldo em carteira de R$ 12,1 bilhões.

Imóvel como garantia: O crédito com garantia de imóvel é uma alternativa para quem pretende pagar dívidas, investir em um negócio, reformar, construir ou comprar um segundo imóvel.

Para o recurso, é preciso que a pessoa interessada disponha de uma casa, apartamento, ponto comercial ou outro imóvel e oferecê-lo como garantia. O imóvel serve como uma segurança para o banco de que a dívida será quitada.

A evolução do Home Equity no Nordeste: 
O CEO do fundo de investimento pernambucano Acredite, Ulysses Verçosa, estima que o mercado dobre de tamanho até o ano de 2024, considerando a recuperação da economia e a baixa dos indexadores atrelados aos empréstimos (IPCA e CDI).

“Como é uma operação muito segura, os juros são menores. O mercado de crédito está aquecido, principalmente impulsionado pela pandemia, o brasileiro descobriu o crédito com a descentralização dos bancos. O que apenas cinco bancos dominavam, hoje tem mais alternativas, a expectativa é positiva por conta desse aquecimento”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.