Tecnologia de teleconsulta da MV já garantiu mais de 30 mil atendimentos na rede pública de Pernambuco

Durante a pandemia é inegável que a tecnologia conseguiu aproximar profissionais de saúde dos pacientes nos locais mais longínquos. E nesse processo a tomada de ações emergenciais, seja na rede pública ou privada, foi fundamental para reduzir os impactos do novo coronavírus. Diante desse desafio, a tecnologia de teleconsulta desenvolvida pela MV, empresa especializada em sistemas para saúde e com sede em Recife, possibilitou o atendimento médico e multiprofissional em Pernambuco durante o isolamento para pacientes que não podem se deslocar até uma unidade de saúde.

No lockdown, a MV fez parte do movimento global de empresas que apoiaram governos e disponibilizou gratuitamente à Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) o Clinic, a plataforma que possibilita a prática da teleconsulta, para garantir que a população pernambucana não deixasse de ter atendimento médico e multiprofissional até o momento.

A partir da liberação temporária da prática da telemedicina pelo Governo Federal, foi criado pelo Núcleo de Telessaúde da SES-PE o serviço de teleconsulta, com ajuda do Clinic MV. O sistema permite o agendamento de consultas virtuais, garante prontuário eletrônico dos pacientes, prescrição de receituários, laudos e encaminhamentos, além do atendimento online – através de vídeo chamada.

O atendimento online com a ferramenta MV foi iniciado com a pandemia, mas vem sendo utilizado até o momento. E por meio da plataforma Clinic já foram realizadas cerca de 30 mil consultas no Estado, de abril de 2020 até agosto de 2021.  Entre os pacientes atendidos por meio da teleconsultas estão as crianças com a síndrome congênita do Zika vírus, portadores de algum tipo de deficiência, com doenças raras ou crônicas que não podem ficar sem as consultas com médicos e multiprofissionais como fonoaudiólogos e psicólogos.

De acordo com Dulcineide Oliveira, diretora do Núcleo de Telessaúde da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, a experiência tem sido muito positiva, inclusive criado evidências importantes para contribuir com a institucionalização da Telessaúde no Brasil.  “A pandemia mostrou que o modelo de consulta remota é essencial para o setor. Nossa preocupação imediata foi manter a assistência desses pacientes e o sistema de telemedicina da MV foi uma parceira fundamental na estratégia de evitar que eles buscassem atendimentos presenciais nos hospitais e serviços de saúde.”, afirma Dulcineide Oliveira.

Atualmente o serviço de teleconsulta da SES-PE disponibiliza atendimento para várias regiões do Grande Recife, Agreste e Sertão – localizados nos Centros Especializados de Reabilitação, RARUS, nas unidades hospitalares, além das Unidades Pernambucanas de Atenção Especializada (UPAEs), nas cidades de Arcoverde, Afogados da Ingazeira, Belo Jardim, Caruaru, Ouricuri, Salgueiro e Serra Talhada.

A oferta de teleconsulta no âmbito do SUS em Pernambuco deu protagonismo nacional a Pernambuco e a diretora do Núcleo de Telessaúde, Dulcineide Oliveira, foi convidada a apresentar a experiência do Estado em debate nacional na Câmara dos Deputados, ao lado de representantes do governo do Rio Grande do Sul e dos hospitais Sírio Libanês e Albert Einstein, ambos de São Paulo.

A liberação provisória da telemedicina auxiliou na ampliação do atendimento clínico. Segundo dados levantados pela Saúde Digital Brasil (Associação Brasileira de Empresas de Telemedicina e Saúde Digital), que representa os principais operadores de telemedicina do país,  o  número de atendimentos por telemedicina aumentou gradativamente no Brasil, permitindo e garantindo acesso à saúde em todo o Brasil. Entre 2020 e 2021, mais de 7,5 milhões de atendimentos foram virtuais no País, sendo 87% de primeiras consultas, evitando idas desnecessárias e permitindo identificar através de exames a necessidade de um atendimento na unidade hospitalar.

Para Emerson Zarour, diretor executivo da Global Health, plataforma que conecta todos os atores da saúde com foco na medicina preventiva e desenvolvida pela MV, os avanços tecnológicos estão transformando o futuro da saúde. “Hoje existem diversas plataformas para facilitar nossa vida, na saúde não seria diferente. A consulta online faz com que o médico e paciente tenham um contato mais próximo mesmo à distância, permitindo acesso rápido e imediato ao atendimento clínico”, destaca Zarour.

Nesse período de pandemia, a Secretaria Estadual de Saúde – SES PE mantem o atendimento dos pacientes com doenças crônicas que já são acompanhados pelos serviços de saúde, com isso as teleconsultas podem ser agendadas pelas unidades de saúde como Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco (Procape), UPAE e hospitais da Rede Pública do Estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.