Angina: cuidados devem ser redobrados com o coração 

 

Pernambuco registra crescimento de 85% no número de mortes por doenças cardíacas nesse período de pandemia    

Com tantas restrições e incertezas nos dias atuais, quem sofre é o coração. E as doenças cardíacas se apresentam entre as que mais requerem cuidados pelo aumento no número de mortes súbitas. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), no primeiro semestre deste ano, o número de pessoas que morreram por doenças cardiovasculares, no Brasil, foi 32,17% maior em comparação ao mesmo período de 2019. Em Pernambuco, o crescimento foi de 85% no número de mortes por doenças cardíacas nesse mesmo período.

Segundo a cardiologista e hemodinamicista, Tieta Albanez, muitas pessoas ainda tem receio de retomarem seus tratamentos por falta de uma vacina contra o Coronavírus e medo dos procedimentos que irão enfrentar. “No consultório, conversamos com paciente e examinamos, podendo identificar quadro de angina. Daí, solicitamos um checkup cardiológico sendo algumas vezes necessário o cateterismo cardíaco para avaliar o fluxo de sangue para o coração”, comenta.

Nesses casos, quem é portador de angina corre riscos de enfartar, caso não realize os procedimentos necessários. Para isso, a Angioplastia Coronária ou Intervenção Coronária Percutânea é o tratamento não cirúrgico mais indicado para os pacientes. Cada vez mais conhecido no Brasil, o procedimento consiste em abrir as obstruções das artérias coronárias por meio de cateter balão, com o objetivo de aumentar o fluxo de sangue para o coração, tanto no infarto agudo como na angina ou quando se detecta obstrução no check up cardiológico.

Ainda de acordo com Tieta, a angioplastia é feita pelo braço ou pela perna.   “Identificado o local da obstrução e desobstruído com a colocação de um stent, uma molinha que deixa a artéria aberta, o paciente normalmente recebe alta hospitalar dentro de 24 horas. O procedimento é seguro e possui baixíssimo risco de complicações quando feita por profissionais bem capacitados”, conclui.

CIRURGIA – Quando o caso é cirúrgico, o indicado é a Cirurgia de Revascularização do miocárdio ou Cirurgia de Pontes de Safena. Segundo o cirurgião cardiovascular da Cardiovascular Cirurgiões Associados, João Paulo II, nesse tipo de cirurgia o médico ‘confecciona’ pontes de mamária e/ou safena no coração. “O objetivo é aumentar o fluxo de sangue para o miocárdio, músculo cardíaco, tanto no infarto agudo como na angina ou quando se detecta obstrução no check up cardiológico”, explica.

A cirurgia, normalmente, é feita de ‘peito aberto’ ou em casos selecionados por mini acesso torácico. É um procedimento seguro, bastante executado em todo o mundo há décadas e com baixo risco de complicações quando feita por profissionais bem capacitados.

“Além do beneficio do reestabelecimento de fluxo na região, outros fatores ligados à liberação de substâncias intrínsecas ao enxerto de mamária no sistema coronariano são observados”, explica, acrescentando que é importante que o paciente procure profissionais que possuam título de especialista e formação de ponta em instituições reconhecidas.

SERVIÇO: 

MedInterv/ Real Cardiologia

Onde: Real Hospital Português –  Av. Gov. Agamenon Magalhães, 4760 – Paissandu, Recife – PE.

Instagram: @medinterv

Fone : (81) 3416-8061

 

Cardiovascular Cirurgiões Associados

Endereço: Empresarial Rio Mar – Av. República do Líbano, 251 – Pina, Torre III sala 2707.

Instagram: @cardiovascularcirurgioes

Fone: (81) 38771505 / 971005151

 

Intertórax   

Endereço: Empresarial Charles Darwin – Rua Senador José Henrique 231 – 6⁰ andar – Sala 604, Ilha do Leite – Recife- PE

Fone : (81) 3071-7623 / 99269-9987

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *