História e Patrimônio imperam em projeto pernambucano de Cartilha Educativa

Quando se pensa em Pernambuco, não conseguimos associar diretamente o município de Jaboatão dos Guararapes a este estado tão fértil culturalmente e emblemática. Ela não só é uma cidade com progressivo crescimento comercial e desenvolvimento urbano, mas configura-se o 2° maior PIB do estado com uma soma de cerca R$ 13 217 350 000,00 reais (Dados do IBGE/2019) em virtude do seu parque industrial e da proximidade com o Porto de Suape e o Recife. Contudo, suas riquezas vão além dos bem de produção produzidos no município e que passam pelas suas vias em direção a tantas localidades, afinal, a cidade considerada Berço da Pátria também apresenta um riquíssimo patrimônio tombado nível federal e estadual. “Jaboatão é a segunda maior cidade do Estado de Pernambuco em população, que conta, atualmente, segundo o senso de 2020, com 706.867 habitantes e com um IDH de 0,717, ocupando o quinto lugar no ranking estadual”, comenta a pesquisadora Dora Dimenstein, residente na localidade há mais de 20 anos.

De acordo recente estudo realizado por ela nos últimos meses, o município foi fundado como um povoado a partir de 4 de Maio de 1593 tem muitas histórias, personalidades e patrimônio cultural, arquitetônico e histórico que precisa ser contado. A cidade de Jaboatão que foi constituída e foi se desenvolvendo com o passar do tempo a partir das ações de Bento Luiz Figueira, terceiro proprietário de um engenho chamado “São João Batista”, passou a ser vila e depois cidade. E, em meio a seus 258,694 km² de área geográfica, está um universo ainda desconhecido do grande público. “Cidade com belas praias e uma história linda, Jaboatão é dona de um passado que orgulha toda a nação e detentora de um rico patrimônio material e imaterial permite, em toda a sua ambiência histórica com a presença de valores culturais para as gerações atuais e futuras. É preciso resgatar a autoestima e o sentimento de pertença de toda sua população no perfil cultural e turístico do estado”, destaca Dimenstein, que faz sua contribuição neste sentido.

De fato, Jaboatão tem tudo para e um pouco mais como referencia de cidadãos que fizeram da cidade seu local de residência entre os quis estão vários personagens importantes para a história como Frei Jaboatão, Gervásio Pires, Barão de Lucena, Padre Chromácio Leão, Paulo Freire, Amélia Brandão, Benedito da Cunha Melo e muitos outros. Por isso, a pesquisadora desenvolveu a Cartilha de Educação Patrimonial dos Bens Edificados Tombados da cidade para contribuir para a educação patrimonial, que foi criada por meio da sua ADCE Produções Culturais, a partir de projeto contemplado pela Lei Aldir Blanc 2, de Jaboatão/2021, graças a Prefeitura de Jaboatão. “Esta é uma contribuição que visa proporcionar um panorama de importantes edificações existentes em Jaboatão dos Guararapes que são tombadas e, desta forma, estão protegidas por leis para serem preservados, conservados e utilizados. Entretanto, não são de conhecimento geral”, completa a produtora cultural.

Neste compilado estão o Povoado de Muribeca dos Guararapes onde foram erguidos engenhos importantes como Santo André e Novo da Muribeca à época, com constituição de prédios históricos e um casario colonial na forma não só na forma de engenhos como ainda de casarios e igrejas, que foram alçados pelo homem em plena colina às margens do Rio Jaboatão, onde começou este povoado. A Capela de Nossa Senhora do Loreto integra também a Cartilha de Educação Patrimonial dos Bens Edificados Tombados, propriedade que integra a Ordem dos Beneditinos e que é a única com alpendres nas laterais, que passou pelo processo de tombamento nº. 40/86 do Decreto Estadual de Homologação nº. 15.632 de 9 de março de 1992.

Há ainda o Engenho Suassuna, fundado pelos irmãos Diogo Soares e Fernão Soares, cristãos-novos, em 1573, que está há muito desativado e que foi tombado a nível estadual através do Processo administrativo nº 3382/12 – Fundarpe. “Jaboatão é um dos mais importantes locais históricos do Brasil e, mais do que preservado, precisa ser destravado e apreciado tal e qual é como gracioso patrimônio pernambucano”, enfatiza.

Tudo isso poder se melhor conhecido através da Cartilha de Educação Patrimonial que está disponibilizada pela plataforma online Mirada Janela Cultural (https://www.miradajanela.com/2022/04/cartilha-de-educacao-patrimonial-dora.html) e ainda conferir uma aula dinâmica sobre os bens edificados tombados na cidade do Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, acessível em Canal do Youtube (https://youtu.be/9w-xrbs2AwM) com tradução em libras, que pode ainda ser transformada em uma atividade a ser vista e levada para salas de aula de qualquer localidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.